Nesta quinta-feira (8), Porto Alegre passou a ofertar um serviço para pessoas da terceira idade em situação de vulnerabilidade social. A primeira República de Idosos da Capital acolhe pessoas com 60 anos ou mais que possuam renda (benefício ou aposentadoria), mas que se encontram em situação de vulnerabilidade social, com vínculos familiares rompidos ou fragilizados, ou em situação de rua. O local no bairro Nonoai (Estrada Aracaju, 563) tem capacidade para atender 20 idosos e é administrado por meio de parceria da Fasc (Fundação de Assistência Social e Cidadania) com o IPSDP – Centro de Educação Profissional São João Calábria. O funcionamento é 24h e conta com educadores sociais, assistentes sociais, psicólogos, coordenação técnica.

O atendimento na República tem como objetivos oferecer espaço de moradia protegido, preservando e fortalecendo as condições de autonomia e independência, assim como estimular o restabelecimento de vínculos comunitários, familiares e sociais, promovendo o acesso à rede de políticas públicas.

São critérios para o ingresso ser residente ou domiciliado em Porto Alegre, estar momentânea ou permanentemente sem retaguarda familiar e ter 60 anos ou mais com renda (benefício ou aposentadoria) mas em situação de vulnerabilidade social, com vínculos familiares rompidos, fragilizados ou em situação de rua.

A avaliação para o acesso se dá via Núcleo de Acolhimento da Proteção Social Especial. A residência possui quatro quartos, oito banheiros, refeitório integrado com a cozinha, sala de estar, sala de atendimento da equipe técnica e pátio amplo.