Integrante da CPI da Pandemia, o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) ironizou a carta divulgada há pouco pelo governo de Jair Bolsonaro em que o mandatário tenta aliviar a crise institucional e chega a dizer que “nunca teve intenção de agredir os poderes” com suas falas golpistas no início da semana. 

Vieira apelidou a nota do governo de “cartinha de Temer que Bolsonaro assinou”. Ele se referia ao fato de ter sido Michel Temer quem teria convencido o presidente a baixar as armas e divulgar um pronunciamento conciliador. 

O senador se mostrou cético com relação ao efeito prático do que foi dito no documento e disse que a carta não tem poder de resolver problemas urgentes do país, como a inflação descontrolada e o alto preço da gasolina e dos combustíveis em geral. 

Ele aproveitou ainda para alfinetar o presidente no caso das rachadinhas e da mansão comprada pelo senador Flávio Bolsonaro em Brasília.

Li a cartinha do Temer que o Bolsonaro assinou. Será que agora o Temer passa a governar também? Será que vai redigir uma cartinha explicando mansões e rachadinhas? Vai vendo Brasil! Quem votou para “mudar tudo isso aí” faz o que? Espera cartinha para baixar o preço da gasolina?”, disse.