Uma articulação tocada por integrantes do governo de Eduardo Leite no Rio Grande do Sul avança para conseguir que o Uruguai, país grande estoque de vacinas contra Covid-19 contratado, autorize a vacinação de brasileiros residentes na fronteira.

O plano foi discutido nesta semana num encontro virtual que envolveu o embaixador uruguaio no Brasil, Guillermo Valles, o diplomata brasileiro em Montevidéu Antonio José Ferreira Simões e a secretária de Relações Federativas e Internacionais do Rio Grande do Sul, Ana Amélia Lemos.

O plano em construção — critérios para estabelecer quantos brasileiros seriam vacinados, por exemplo — para conter o avanço da pandemia do lado uruguaio, prevê que o governo vizinho disponibilize inicialmente a vacina para moradores de Santana do Livramento, cidade gaúcha com 200.000 habitantes na fronteira com Rivera. A estratégia pode ser implementada em outras cidades da região, seguindo o mesmo modelo em estudo.

O trânsito livre entre as cidades nessa região é o que justifica o potencial auxílio uruguaio ao Brasil. Nesta semana, o Radar mostrou que autoridades do governo brasileiro atuam junto a integrantes do Uruguai e do Chile para obter doses extras de vacina compradas pelos dois países. A negociação com o Uruguai é o primeiro passo nessa operação.

Continua após a publicidade