A ministra Rosa Weber determinou que órgãos do Distrito Federal, incluindo o Ministério Público e o Instituto Ambiental, deem explicações sobre o despejo da família do biólogo da Embrapa Genaro Ribeiro de Paiva, que teria ocorrido em julho de 2018, de um terreno no Lago Sul. Atualmente o espaço integra a área de um parque situado à beira do Lago Paranoá.

A defesa de Genaro – um renomado especialista em genética molecular do país – afirma que ele teria adquirido os direitos hereditários do terreno de forma regular em 1996, e sequer foi citado na ação que resultou no despejo. No local, Genaro diz ter criado seus filhos e enterrado as cinzas de sua ex-mulher. Após a manifestação dos réus, Rosa Weber deverá levar o assunto à apreciação do plenário.