A prisão do deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) gerou atrito na sessão de julgamentos desta quinta-feira no Supremo Tribunal Federal.

O decano da Corte, ministro Marco Aurélio Mello, queria julgar o relaxamento da prisão de Silveira. Mas o relator do caso, ministro Alexandre Moraes, não colocou o processo para análise.

Moraes manteve o deputado federal  preso, alegando que os advogados do parlamentar perderam prazo para apresentar a defesa preliminar, e que agora há um novo período de mais  15 dias. 

Marco Aurélio, então, pediu ao presidente do STF, ministro Luiz Fux, que pautasse o caso — mas o pedido foi negado.

O decano foi à carga: “Eu já disse que vossa excelencia é autoritário. Não submete as decisões ao colegiado. Não aceito mordaça”. E chamou Moraes de “xerife”. 

Continua após a publicidade