O trecho da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol 1), no trecho que vai de Ilhéus a Caetité, na Bahia, foi arrematado por 32,7 milhões pela Bahia Mineração S/A (Bamin) nesta quinta-feira, 8. O lance  foi o único dado para o arremate da ferrovia, no valor da outorga mínima definida nas regras do leilão.

O contrato de é de 35 anos e a Bamin ficará responsável pela finalização do empreendimento e pela operação do trecho. Ao todo, serão investidos 3,3 bilhões de reais. Desse total, 1,6 bilhão de reais vai para a finalização da obra. Segundo estimativas da empresa, todo o projeto deve permitir a criação de  55 mil empregos diretos, indiretos e efeito-renda ao longo da concessão.

Havia expectativa que a Bamin fosse a maior interessada no trecho já que a empresa faz a exploração do minério de ferro na Mina da Pedra de Ferro, em Caetité e, assim, passa a ter um escoamento mais ágil para a sua produção.

O leilão foi o segundo da chamada Infra Week, que na véspera concedeu 22 aeroportos para a iniciativa privada, contratando 6,1 bilhões de reais em investimento. Os blocos foram arrematados com 3.800% de ágio, arrecadando 3,3 bilhões de reais ao governo. Na sexta-feira está previsto mais um leilão, dessa vez de cinco terminais portuários, no Rio Grande do Sul e o Maranhão.

Continua após a publicidade

O leilão do trecho ferroviário foi o segundo desde 2019. Anteriormente, o governo brasileiro ficou 12 anos sem conceder trechos da malha ferroviária.

Ferrovia

O traçado da Fiol possui 537 km de extensão, atravessando os seguintes municípios do estado da Bahia: Ilhéus, Uruçuca, Aureliano Leal, Ubaitaba, Gongogi, Itagibá, Itagi, Jequié, Manoel Vitorino, Mirante, Tanhaçu, Aracatu, Brumado, Livramento de Nossa Senhora, Lagoa Real, Rio do Antônio, Ibiassucê e Caetité.

O corredor logístico visa permitir o escoamento para o mercado externo do minério de ferro do sul da Bahia, por meio do Porto de Ilhéus. A Bamin afirma que a ferrovia também será utilizada para possibilitar o transporte ferroviário de produtos do agronegócio baiano, como grãos e algodão.

A expectativa da ANTT é que de que a Fiol 1 comece a operar em 2025 transportando mais de 18 milhões de toneladas de carga.

Continua após a publicidade