O Instituto Butantan terá capacidade de produzir 1 milhão de doses de CoronaVac por dia, disse o governador João Doria nesta quinta-feira, 10. As primeiras doses já começaram a ser formuladas e envasadas no centro de excelência paulista.

Para chegar a essa monta, o Butantan passará a trabalhar 24 horas por dia. O primeiro milhão já começou a ser produzido, após a chegada de 600 litros de ingredientes de China, na semana passada.

Na mesma coletiva de imprensa, o governador afirmou que onze estados brasileiros solicitaram doses da CoronaVac ao governo de São Paulo. Além deste número, 276 cidades também demonstraram interesse.

Os estados são os seguintes: Acre, Pará, Maranhão, Roraima, Piauí, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo, Rio Grande do Norte, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Sul.

Doria reafirmou que dedicará uma remessa de 4 milhões de doses a outras regiões brasileiras que desejarem realizar imunização com o medicamento desenvolvido pela farmacêutica chinesa Sinovac Life Science em parceria com o Instituto Butantan, em São Paulo. A remessa seria disponibilizada a partir de 25 de janeiro, data que Doria pretende iniciar as vacinações em todo território paulista.

Nesta quinta-feira, 10, ocorre a assinatura de um protocolo de intenções com a Federação Catarinense de Municípios (Fecam) e o Instituto Butantan, para o repasse de doses.

Continua após a publicidade