Eleito para fazer parte do Conselho de Administração do BNDES em 30 de dezembro de 2020, Arthur Koblitz  foi barrado pelo banco nesta quarta-feira por figurar também como suplente na estrutura organizacional da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro.

Koblitz foi eleito para o posto na entidade sindical no 26 de janeiro de 2021. Para o Comitê de Elegibilidade do BNDES, a dupla função de Koblitz acabou por inviabilizar sua posse no Conselho de Administração.

“A eleição do indicado como representante sindical, ainda que suplente, constitui óbice ao exercício de cargo de Conselheiro de Administração do BNDES, BNDESpar e Finame, de acordo com o que dispõe o artigo 17, § 2º, inciso III, da Lei n.º 13.303/2016, já que se constitui em cargo de organização sindical”, registrou o despacho do comitê.