A aquisição de dois sistemas de aeronaves remotamente pilotadas Hermes 900 pela Força Aérea Brasileira está parada desde o ano passado.

Os drones que seriam usados para vigilância de fronteiras, identificação de incêndios florestais e combate ao desmatamento, estariam equipados com câmeras, radares e inteligência de comunicações.

A aquisição dos drones israelenses continua em compasso de espera aguardando recursos prometidos pelo Ministério da Justiça.

Um oficial da Aeronáutica disse que os sistemas são estratégicos e trariam um ganho operacional muito importante. Hoje, a FAB só tem uma aeronave do tipo, baseada em Santa Maria, no Rio Grande do Sul.

Continua após a publicidade