A inauguração de um novo free shop de fronteira terrestre em Uruguaiana ampliou para oito a quantidade de “lojas francas” na cidade. Em âmbito estadual, já são 15 endereços com esse perfil, abrangendo também Jaguarão, São Borja, Porto Xavier e Barra do Quaraí, cada qual com um estabelecimento.

Com isso, o Rio Grande do Sul é o Estado líder no segmento, pouco mais de dois anos após o sinal-verde do governo federal para instalação de empresas da modalidade em até 33 cidades de dez Estados. Desse total, 11 municípios  são gaúchos: Barra do Quaraí, Uruguaiana, Jaguarão, Quaraí, Aceguá, Chuí, Itaqui, Porto Xavier, Santana do Livramento, São Borja e Porto Mauá.

“É isso que a gente quer: a ousadia dos empreendedores num Estado que retome a confiança no futuro”, destacou o governador Eduardo Leite ao cumprimentar o casal de proprietários da loja, denominada “New York Free Shop” e que fica no centro de Uruguaiana. “O Estado tem que melhorar o ambiente de negócios para que pessoas como Sâmi e Jane [os donos] tenham razões para expandir negócios.”

Como funciona

O conceito de loja franca (“duty-free”) de fronteira terrestre compreende estabelecimentos instalados em cidades-gêmeas, uma de cada lado da fronteira. É o caso de Uruguaia e Passo de Los Libres, na Argentina. Nesses locais, podem ser comercializadas mercadorias nacionais ou estrangeiras, com isenção de impostos de importação.

Os estabelecimentos permitem compras de até US$ 300, feitas por residente ou não residente em viagem internacional, com suspensão dos tributos para mercadoria estrangeira até a venda e a isenção para mercadorias nacionais.

Dente as propostas está a de proporcionar mais facilidade ao viajante terrestre internacional, com opção de acesso a compras em um ambiente de comodidade e conveniência, ao mesmo tempo em que aquece a economia local.

(Marcello Campos)