É uma demonstração de como Jair Bolsonaro mexeu com os nervos do STF nesta terça. Terminou há pouco a reunião marcada por Luiz Fux para discutir os eventos de 7 de setembro.

Todos os ministros da Corte estavam no diálogo. Ficou combinado que a resposta do tribunal virá nesta quarta, a partir de uma fala de Fux no início da sessão do Supremo.

O clima era de indignação, a ponto de um dos ministros, solidário com os colegas atacados por Bolsonaro, pedir “calma”. A preocupação é marcar posição, mas sem mergulhar nas provocações do presidente da República.