Esquema era organizado de dentro de presídios, segundo a polícia. Seis pessoas foram presas preventivamente por extorsão sexual em Charqueadas e Canoas. Veja como se proteger do golpe. Seis pessoas foram presas preventivamente nesta terça-feira (24)
Leandro Reis / Polícia Civil
A Polícia Civil realiza, nesta terça-feira (24), uma operação de combate ao “Golpe dos Nudes”, no Rio Grande do Sul. Seis suspeitos foram presos preventivamente por extorsão sexual em Charqueadas e Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre.
Estão sendo cumpridas 16 ordens judiciais, sendo sete prisões preventivas e nove mandados de busca e apreensão em Alvorada, Canoas, Viamão, Erechim e Charqueadas; e, ainda, na Penitenciária Estadual do Jacuí, Penitenciária Estadual de Canoas III e Colônia Penal Agrícola.
Foram apreendidos cadernos com anotações sobre o golpe, telefones celulares, dentre outros objetos.
As investigações começaram depois que a polícia apreendeu, em presídios, cadernos com anotações em que os suspeitos mantinham informações sobre vítimas, contas bancárias e textos de roteiros sobre o que falar com as vítimas quando se passavam por policiais.
Segundo a polícia, foi comprovado que a maioria dos golpes relacionados à extorsão sexual tem origem no presídio com o apoio de pessoas que recebem os valores pagos pelas vítimas, seja para se livrar de suposta acusação do crime de pedofilia, seja para que a foto não fosse compartilhada para familiares e amigos.
As investigações estão em andamento e os suspeitos podem ser indiciados pelos crimes de extorsão e associação criminosa.
Golpe dos Nudes
O crime conhecido como “Golpe dos Nudes” consiste, inicialmente, com o envio de solicitações de amizade, por redes sociais, de mulheres jovens e atraentes para homens, geralmente de meia idade, de acordo com a polícia.
Num segundo momento, via WhatsApp, as mulheres compartilham fotos íntimas, que são utilizadas na extorsão. O homem, vítima do golpe, passa a receber ligações dos supostos pais da jovem ou de falsos policiais civis que o acusam de pedofilia, sob a alegação de que as fotos são de uma criança ou adolescente.
Na extorsão, os falsos familiares exigem valores para não denunciar à polícia ou se identificam como delegados, na tentativa de arquivar os supostos inquéritos.
Segundo a polícia, entre janeiro e agosto desse ano, 87 pessoas foram indiciadas pelo crime de extorsão sexual.
Neste mesmo período, 24 pessoas foram presas, sendo que 12 permanecem na cadeia.
Dicas da Polícia Civil para não cair no golpe
Desconfie de solicitações de amizade nas redes sociais de pessoas que você não conhece;
Não converse por telefone com pessoas que utilizam prefixos e números desconhecidos;
Não compartilhe fotos íntimas pela internet;
Lembre-se: pedofilia é crime!
Caso tenha sido vítima de algum golpe, procure a Polícia Civil e registre uma ocorrência policial.
VÍDEOS: tudo sobre o RS