Prefeitura monitora cumprimento de protocolos sanitários em evento-teste para retomada de festas em Porto Alegre

bailey aschimdt
bailey aschimdt

Neste fim de semana, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) e a pasta de Enfrentamento à Covid acompanharam um evento-teste produzido por empresários do ramo de entretenimento noturno na casa NTX, Zona Norte de Porto Alegre. Cerca de 600 pessoas se engajaram à iniciativa, destinada a monitorar o cumprimento de protocolos sanitários anticoronavírus para retomada desse tipo de atividade.

A simulação teve a sua primeira rodada no sábado (24). Dos 600 convidados que adquiriram ingresso, 24 não compareceram à testagem prévia e nove acabaram impedidos de entrar no local depois que o exame apontou resultado positivo para covid. No dia da festa, ao menos 200 participantes foram retestados na área externa.

Já neste domingo, antes do início do evento, uma equipe da Diretoria de Vigilância em Saúde da SMS compareceu ao local, próximo ao Aeroporto Internacional Salgado Filho, a fim de avaliar o cumprimento das diretrizes. Além disso, nesta terça (27) e quarta-feira, um grupo de 200 convidados será novamente submetidos à testagem.

De acordo com a gerente da unidade de vigilância sanitária da SMS, Paula Marques Rivas, dentre os itens a serem vistoriados estão as condições do ambiente, os procedimentos de testagem e as medidas sanitárias adotas no estabelecimento, tais como distanciamento interpessoal e disponibilização de máscaras.

Ainda segundo ela, esse tipo de evento simulado permite uma análise mais detalhada do assunto por parte de autoridades e especialistas. “A gente vai avaliar uma série de aspectos para permitir ou não a retomada de festas com esse perfil, mas isso ainda depende de uma série de fatores”, ressalva. “É preciso cruzar outras informações para adotar medidas mais permissivas ou restritivas.

Um dos segmentos mais afetados

As empresas do setor de eventos, incluindo casas noturnas e espaços de festas, estão entre os segmentos mais afetados economicamente pelas restrições de atividades desde o começo da pandemia, em março do ano passado. Muitas tiveram que apelar para a diversificação e várias sucumbiram, fechando as portas em definitivo.

Em mais de 16 meses desde a confirmação oficial do primeiro caso de covid no Rio Grande do Sul, as perdas do setor não se resumem aos prejuízos financeiros e demissões de funcionários.

Basta mencionar o fato de que, somente neste ano, dois empresários consagrados da noite porto-alegrense morreram após contágio por coronavírus sem ver os seus estabelecimentos reabertos ao público. Além de Edson Dutra, dono da boate Fever (bairro Moinhos de Vento) e ex-proprietário da Santa Mônica (1993-1997), faleceu Airton “Capacete” Reinheimer, responsável desde 1981 pelo Chipp’s (Menino Deus).

(Marcello Campos)

Compartilhe esse Artigo