Familiares jogam cinzas de bombeiro morto no incêndio na SSP em rio de Lavras do Sul

bailey aschimdt
bailey aschimdt


Sargento Lúcio Ubirajara de Freitas Munhós, de 51 anos, foi homenageado por colegas na cidade natal. Militar foi uma das duas vítimas de incêndio em Porto Alegre, no dia 14 de julho. Familiares e servidores da segurança homenagearam bombeiro em Lavras do Sul
CBM Caçapava do Sul/Divulgação
O bombeiro Lúcio Ubirajara de Freitas Munhós, de 51 anos, morto no incêndio que atingiu a sede da Secretaria da Segurança Pública (SSP) do Rio Grande do Sul, no dia 14 de julho, foi homenageado nesta sexta-feira (6). Familiares e colegas do sargento lançaram parte de suas cinzas nas águas do Rio Camaquã, em Lavras do Sul, cidade natal do militar, a 324 km de Porto Alegre.
O ato reuniu agentes do Corpo de Bombeiros Militar (CBM), da Brigada Militar e da Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe). O fogo que destruiu parcialmente o edifício teria iniciado no andar onde o órgão responsável pela administração dos presídios do RS fica instalado.
Entenda o que houve no prédio da SSP-RS
A esposa e a filha do sargento foram recepcionadas pelo comandante do batalhão dos bombeiros de Caçapava do Sul, responsável pela atuação em Lavras do Sul, tenente Adriano de Sena.
FOTOS: Incêndio atinge prédio da SSP
VÍDEOS: Veja imagens do fogo no prédio da secretaria
Capacete do sargento Munhós, exposto em frente ao pelotão de sua cidade natal
CBM Caçapava do Sul/Divulgação
Trajetória
O corpo do sargento Munhós foi o segundo a ser encontrado, no dia 21 de julho, uma semana após o incêndio. Horas antes, as equipes de resgate localizaram o corpo do tenente Deroci Almeida. Os dois bombeiros desapareceram durante os trabalhos de combate às chamas, ainda no dia 14.
Na semana do ocorrido, Munhós foi lembrado por colegas como um profissional idealista e dedicado. Como no incêndio do Mercado Público de Porto Alegre, em 2013, o bombeiro se voluntariou para atuar nos trabalhos na sede da SSP.
Sargento Lúcio Ubirajara de Freitas Munhós
Divulgação
“Sempre que via algum filme de bombeiro, uma ocorrência de bombeiro, estava ali incentivando as pessoas a serem bombeiros. Era uma pessoa diferenciada”, recordou o sargento Ubirajara Ramos, coordenador-adjunto da Associação de Bombeiros do Estado do Rio Grande do Sul (Abergs).
Munhós era bombeiro desde 1990 e, na época da morte, atuava na divisão de Logística e Patrimônio, um setor administrativo do Corpo de Bombeiros Militar do RS.
Bombeiros no resgate aos colegas desaparecidos no incêndio da SSP-RS
Governo do RS
VÍDEOS: Incêndio na sede da SSP

Compartilhe esse Artigo