Segundo a polícia, suspeitos têm idades variadas e pertencem a diferentes classes sociais. Crimes teriam aumentado durante a pandemia. Polícia cumpre mandados em operação contra pornografia infantil em Porto Alegre
Divulgação / Polícia Civil
A Polícia Civil realizou, na manhã desta terça-feira (24), operação de combate a produção, armazenamento e compartilhamento de pornografia infantil em Porto Alegre. Quatro pessoas foram presas nas investigações. Um suspeito foi detido por posse de drogas.
Vídeos contendo pornografia infanto-juvenil foram encontrados pelos peritos do Instituto-Geral de Perícias durante ação de combate à pedofilia.
A perícia também coletou material em um estúdio fotográfico, que pode ter sido usado para a produção de pornografia infanto-juvenil.
Foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão nas residências de suspeitos na Capital. Segundo a delegada responsável pela operação, Sabrina Teixeira, os presos são de idades e classes sociais diferentes.
“Se engana quem pensa que há um perfil em relação a esse criminoso, eles são das mais variadas faixas etárias, diversas classes sociais. Única coisa que dá pra se dizer é que em regra são homens, a maioria dos casos a família sequer desconfia. Justamente porque se passa muito tempo no computador, nas redes sociais, e é onde se acessa esse conteúdo”, diz.
Ainda de acordo com a delegada, os crimes aumentaram durante a pandemia de Covid-19.
“Com a pandemia aumentou tanto o consumo desse material como os riscos para crianças e adolescentes serem aliciados por esses criminosos”.
A produção, o armazenamento e o compartilhamento de material pornográfico é crime, com penas que variam de 1 a 8 anos.
VÍDEOS: tudo sobre o RS