Os caciques do centrão, que não brincam em serviço, querem fazer do BNDES o “motor” da reeleição da turma no Congresso e, claro, de Jair Bolsonaro. Gustavo Montezano, o chefe do banco, já foi avisado, dizem parlamentares ouvidos pelo Radar.