O presidente da Câmara, Arthur Lira, mostrou nesta quarta que não é sócio de Jair Bolsonaro no projeto golpista propagandeado no 7 de setembro.

Em seu pronunciamento, Lira defendeu a Constituição: “Nosso país foi construído com União e solidariedade, e não há receita para superar a grave crise sócio-econômica sem esses elementos. Esta Casa tem prerrogativas que seguem vivas, e quer seguir votando e aprovando o que é de interesse público, e estende a mão aos demais Poderes para que se voltem para o trabalho, encerrando desentendimentos. Por fim, vale lembrar que temos a nossa Constituição, que jamais será rasgada”.

O deputado defendeu as eleições do próximo ano como compromisso “inadiável e inquestionável” do país. “O único compromisso inadiável e inquestionável que temos em nosso calendário está marcado para 3 de outubro de 2022, com as urnas eletrônicas. São nas cabines eleitorais, com sigilo e segurança, que o povo expressa sua soberania. Que até lá tenhamos todos serenidade e respeito às leis, à ordem e principalmente à terra que todos amamos”, disse Lira.