SÃO PAULO – A Intelbras (INTB3) anunciou nesta terça-feira (24) que assinou um acordo de colaboração com a americana Qualcomm para licenciar sua tecnologia da quinta geração de serviços móveis (5G).

Segundo a companhia, a iniciativa visa suprir a demanda de operadoras e provedores de internet no Brasil, em um momento em que a iminência do leilão das frequências para o 5G aumenta a necessidade de desenvolvimento do ecossistema de dispositivos 5G e Wi-Fi 6 no país.

Em nota, a Intelbras afirmou que o acordo prevê a produção de soluções 5G FWA, que fornecerá conectividade de alta qualidade, velocidade e latência semelhantes à fibra óptica, sem a necessidade de cabeamento e instalação na última milha (last mile).

“Este projeto estimula o desenvolvimento no Brasil de tecnologias avançadas para fomentar a implementação do 5G no país e reforça o posicionamento de liderança da Intelbras no processo de redução da exclusão digital em território nacional”, escreveu Rafael Boeing, diretor de relações com investidores, em nota.

Na avaliação da casa de análise Levante, a notícia é “bastante positiva” para a Intelbras e deve se refletir em um impacto positivo no preço das ações da companhia no curto prazo.

Nesta terça (24), os papéis INTB3 apresentavam alta de 1%, por volta das 16h (horário de Brasília), negociados a R$ 28,01. Na máxima do dia, as ações chegaram a subir 3,9%, a R$ 28,78.

Segundo a Levante, as perspectivas para a companhia são otimistas, uma vez que a empresa se beneficia largamente do acordo com a Qualcomm, devendo abocanhar parte significativa do mercado de tecnologia 5G.

A Guide Investimentos também vê a notícia como positiva. “Vemos o anúncio com bons olhos para a Intelbras, que poderá ofertar produtos de tecnologia inovadora e ainda com exclusividade na América Latina, o que consideramos um importante diferencial para o posicionamento da companhia, que já possui atualmente como vantagens competitivas um diverso portfólio de produtos e liderança em várias categorias”, escrevem os analistas.

Segundo a Guide, a tecnologia 5G é uma das principais oportunidades de crescimento para o setor e para a companhia.

Já o Itaú BBA escreve, em relatório, que a parceria provavelmente aumentará o portfólio de soluções da Intelbras, principalmente para o mercado de banda larga, que tem se destacado devido ao rápido crescimento de conexões de fibra até a casa (FTTH).

Os analistas, contudo, dizem não esperar um grande impacto em termos de receita no curto prazo, dado que acreditam que a maior parte da demanda por essas soluções será de médio prazo, visto que se trata de uma tecnologia cara em relação à implantação atual de FTTH.

O banco manteve sua recomendação de outperform (acima da média do mercado) para as ações INTB3 e preço-alvo de R$ 28,10 por ação.

Curso gratuito ensina a ter consistência na bolsa para ganhar e rentabilizar capital. Participe!