Incêndios florestais nas montanhas do norte da Argélia mataram pelo menos 65 pessoas desde a última segunda-feira, 9, de acordo com a mídia estatal do país. 

A onda de calor intensa no Mediterrâneo também ajudou a desencadear incêndios na Grécia e na Turquia. 

Embora o exército tenha sido chamado para ajudar a combater os incêndios, a mídia local informou que pelo menos 86 focos ainda não foram contidos em 17 diferentes províncias do país. 

O presidente Abdelmadjid Tebboune anunciou três dias de luto nacional pelos mortos. 

O governo alegou na terça-feira, sem mostrar nenhuma evidência, que os incêndios foram obra de criminosos, e as autoridades disseram que prenderam e estavam interrogando três pessoas em conexão com os incêndios em cidades incluindo Medea e Annaba.

A Argélia vem sofrendo com uma onda de calor com ventos fortes, semelhante à situação no norte do Mediterrâneo, que ajudou a intensificar os incêndios florestais em outras partes da Europa.

A previsão é que as temperaturas em Tizi Ouzou, a área mais atingida até agora nos incêndios desta semana, cheguem a 46°C esta semana.

Os incêndios começaram nas florestas montanhosas e vilarejos a leste de Argel, a capital, na segunda-feira, e se espalharam pela região berbere do país, devastando casas, pomares e gado.

Incêndios florestais na região norte da Argélia não são incomuns. No entanto, o fogo que começou em 9 de agosto continua sendo um dos mais graves na história recente do país.