O Grupo Pão de Açúcar ajuizou uma série de processos judiciais para tentar não pagar a correção feita pelo IGPM do valor  de alugueis de alguns de seus supermercados. Em um dos processos, contra o BR Malls e o fundo imobiliário do Shopping Jardim Sul, o grupo alega que caso mantido o índice IGPM na renovação do aluguel, configuraria enriquecimento ilícito do fundo. “É óbvio e notório que a valorização imobiliária de um ano para outro jamais alcançará um patamar de 37%. Muito menos em tempos de pandemia!”, diz o grupo na ação em referência à inflação medida pelo IGPM. O Pão de Açúcar quer indexar seus contratos ao IPCA, que valorizou bem menos neste ano.

No segundo trimestre do ano, o grupo anunciou um lucro 99% menor do que no ano passado, impactado pela queda nas vendas.