O Gabinete de Crise do governo gaúcho decidiu autorizar o retorno do público aos estádios em competições esportivas no Rio Grande do Sul, limitado a 40% da capacidade por setor e com um máximo de 2,5 mil pessoas. Todas as mudanças serão detalhadas em decreto e passarão a valer após publicação no Diário Oficial do Estado, nos próximos dias.

Além disso, o colegiado discutiu pedidos para a liberação de eventos sociais. A decisão foi por liberar, a partir de 1º de outubro, uso de pista de dança em eventos infantis, sociais e de entretenimento, com máximo de 150 pessoas no protocolo variável, podendo chegar a 350 pessoas se autorizado pela respectiva região.

Será mantida a obrigação do uso de máscara e o cumprimento dos demais protocolos. Por ora, em casas de shows, casas noturnas e similares segue a proibição do uso de pista de dança.

“Estamos avançando nas liberações e redução das restrições devido à melhora no cenário da pandemia no Rio Grande do Sul e por sermos um dos Estados que mais vacina no País, estando sempre no topo do ranking”, frisou o governador Eduardo Leite. Ele acrescentou que:

“A decisão sobre os eventos, assim como outras flexibilizações, serão reavaliadas conforme a gente atingir a meta de completar o esquema vacinal de pelo menos 70% da nossa população, que é o percentual definido por especialistas no mundo todo para a chamada imunidade coletiva”.

Embasamento

A medida foi anunciada na tarde desta quarta-feira (1º), após reunião do o Gabinete de Crise que resultou, pela terceira semana consecutiva, na manutenção do atual quadro do Sistema “3As” (substituto do modelo de distanciamento controlado) sem emissão de Avisos ou Alertas.

Conforme o Executivo estadual, foram levados em consideração o monitoramento de indicadores que apontam dados positivos. Isso diz respeito principalmente ao fato de que o número de internados suspeitos ou confirmados com covid em leitos clínicos e de UTI retomou tendência de queda, acentuando o seu ritmo de redução na última semana.

Até o início da tarde, eram 737 internados em leitos clínicos no Estado – o menor número desde 15 de junho de 2020 – e 706 pacientes confirmados ou com suspeita da Covid em leitos de UTI – menor desde 9 de julho do ano passado.

O Rio Grande do Sul registrou em agosto o menor número de óbitos por covid-19 desde junho do ano passado, quando foram registradas 440 mortes. Na comparação com julho, quando ocorreram 1.677, foram quase mil mortes a menos no Estado, um recuo de 59%. Ainda que possam sofrer alterações devido às atualizações no sistema estadual, os números demonstram a eficiência da vacinação contra a doença.

Até a terça-feira (31), o Estado vacinou 7,62 milhões de pessoas com a primeira dose e 3,84 milhões com a segunda dose. No total, são 11,76 milhões de vacinas aplicadas. Também são imunizados desde julho os adolescentes de 12 a 17 anos com comorbidades. A partir do próximo dia 15, deve começar a aplicação da dose de reforço na população acima de 70 anos e em pessoas com alto grau de imunossupressão.

O governo estadual informa que segue monitorando todos os indicadores, em especial a propagação da variante Delta. Conforme o Executivo, a área de Vigilância Genômica do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) segue acompanhando a situação em tempo real e alerta que o cenário é dinâmico e pode trazer mudanças significativas, inclusive identificar possíveis novas variantes caso venham a surgir.

(Marcello Campos)