Depois de o presidente Jair Bolsonaro ter encaminhado ao Senado um pedido de impeachment contra o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, o decano do STF Gilmar Mendes usou as redes sociais neste domingo, 22, para criticar o ex-capitão, artífice, segundo ele, da “fabricação artificial de crises institucionais infrutíferas”. Na avaliação do magistrado, atitudes como essa, de tensionamento entre os poderes, “afasta o país do enfrentamento dos problemas reais”.

“A crise sanitária da pandemia, a inflação galopante e a paralisação das reformas necessárias devem integrar a agenda política. É hora de reordenar prioridades”, escreveu Mendes. A manifestação foi ‘curtida’ pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Luis Roberto Barroso, também alvo de recentes ataques de Bolsonaro. O presidente prometeu que, ao lado de Alexandre, enviaria um pedido de abertura de um processo de impeachment contra o chefe do TSE, mas ainda não o fez.

Na avaliação de integrantes do Supremo, a estratégia do presidente de partir para cima do Judiciário tem dois objetivos principais: manter os apoiadores bolsonaristas unidos em um discurso radicalizado e criar pretextos para eventualmente apresentar um pedido de suspeição dos dois magistrados em futuros julgamentos eleitorais contra o ex-capitão.