A Fundação Orquestra Sinfônica de Porto Alegre, instituição da Sedac (Secretaria da Cultura), já doou cerca de 1,5 tonelada de alimentos não perecíveis para diferentes entidades durante a pandemia. Em 2021, desde a retomada dos espetáculos com público, em 5 de junho, a orquestra abriu mão da cobrança de ingressos e passou a recolher 1 quilo de alimento por bilhete.

Na última sexta-feira (3), em torno de 600 quilos de alimentos arrecadados nos três concertos mais recentes foram repassados ao CPCA (Centro de Promoção da Criança e do Adolescente São Francisco de Assis), organização parceira da prefeitura de Porto Alegre que auxilia as atividades da Orquestra Villa-Lobos, e à Escola de Música da Ospa, que montou cestas básicas para os alunos mais necessitados.

Para o diretor pedagógico do CPCA, Everton Silveira, a doação é um voto a favor da vida. ‘‘É fácil compreender que essa doação vem ao encontro e incorpora uma missão que visa resgatar vidas, ela é fundamental para que se possa atingir os objetivos da instituição no que se refere ao cuidado com a existência’’, afirmou.

Entre as instituições contempladas nas doações deste ano estão a Casa do Artista Rio Grandense, a Associação dos Músicos do Rio Grande do Sul e o Sesc, por meio do programa Mesa Brasil.

O maestro e diretor artístico da Ospa, Evandro Matté, destacou que os problemas gerados pela pandemia foram a razão para a troca de alimentos por ingressos. ‘‘Nós sabemos que a pandemia tornou a vida mais difícil para muita gente. Muitas pessoas ficaram desempregadas, a pobreza aumentou, então achamos que era importante contribuirmos para amenizar isso”, salietou.

As doações estão atreladas aos princípios da Escola de Música da Ospa. Vinculado à Fundação Ospa, o conservatório cumpre há 49 anos a missão de formar gratuitamente músicos profissionais voltados ao universo orquestral. Todos os anos, centenas de alunos estudam os mais diversos instrumentos.

O diretor do conservatório, Diego Grendene, destaca a importância da iniciativa: ‘‘Fico muito feliz com esta doação de cestas básicas aos alunos da Escola da Ospa. Muitos são provenientes de famílias de baixa renda e tiveram sua situação ainda mais agravada por conta da pandemia. É muito bom constatar que o público que assiste presencialmente aos concertos da Ospa também está ajudando, através desta doação, os nossos alunos’’.

doações ospa 2 Credito LeandroRodrigues
Os alimentos arrecadados nos concertos são entregues para diferentes entidades durante a pandemia – Foto: Leandro Rodrigues/Divulgação Ospa

 

Próximo concerto

No próximo sábado (11), a Ospa (Orquestra Sinfônica de Porto Alegre) executa uma das maiores obras escritas especialmente para o fagote, mais grave instrumento de madeira da família dos sopros: Grande concerto para fagote e orquestra em fá maior, de Johann Nepomuk Hummel. A fagotista colombiana Ange Bazzani fará o desafiante solo. A apresentação, intitulada Fagote e outras cores, também inclui um sucesso mundial vindo da Noruega (Peer Gynt – Suite n.º 1, obra-prima de Edvard Grieg) e uma sinfonieta com ritmos brasileiros (Sinfonietta prima, do mineiro Ernani Aguiar), sob regência do maestro do Coro Sinfônico da Ospa, Manfredo Schmiedt.

A partir de 11 de setembro, o limite de público na Casa da OSPA sobe para 400 pessoas, um pouco menos de 40% da lotação. O ingresso é 1 quilo de alimento não perecível. Os concertos seguem com transmissão gratuita ao vivo pelo canal da Ospa no YouTube.