As empresas de fomento comercial — conhecido como factoring — devem movimentar 138 bilhões de reais até o final do ano, um crescimento de 15% em relação a 2020. Os dados são da Anfac, associação que representa o setor.

A principal atividade do segmento consiste na alavancagem de pequenos e médios negócios, viabilizando a transformação de vendas a prazo em dinheiro à vista para as empresas.

Com base na previsão otimista para este ano, as empresas de factoring esperam incrementar a participação no comércio varejista, por meio da antecipação de recebíveis derivados das vendas com cartões de crédito. Mudanças introduzidas por novas normas flexibilizaram aos lojistas a negociação de suas carteiras, diz a Anfac.

Já na indústria, a associação estima aumento nas operações de fomento à produção, modalidade onde as associadas adquirem diretamente insumos e matéria-prima para suas empresas clientes, sobretudo pequenas indústrias, viabilizando o atendimento dos pedidos realizado e impulsionando a cadeia produtiva.