Ministros do STF tratam o desfile de tanques da Marinha na Praça dos Três Poderes como mais um “factoide” do Palácio do Planalto para desviar o foco da audiência sobre o enfraquecimento político de Jair Bolsonaro.

Em uma primeira análise do caso, os ministros ouvidos pelo Radar não encontraram na lei algum dispositivo que proíba o governo de colocar tanques de guerra em circulação fora de datas comemorativas.

Os magistrados avaliam que, para proibir o desfile, seria preciso comprovar que há desvio de finalidade no uso dos militares, o que não é o caso, já que trata-se de uma divulgação de um exercício militar das tropas.

“Isso é um factoide do Bolsonaro porque o governo vai perder essa briga do voto impresso no Congresso”, diz um ministro.

Sendo assim, ninguém na Corte deve perder muito tempo com o tema. Se a oposição acionar a Corte, o caso será sorteado pelo sistema interno como uma demanda qualquer, sem provocar paixões nem correria.