O deputado federal Aluísio Mendes (PSC-MA) apresentou à mesa diretora da Câmara um projeto de lei para incluir na Lei Maria da Penha o monitoramento de agressores de mulheres por tornozeleira eletrônica. 

A ideia é que o instrumento seja usado para garantir que algozes não se aproximem das vítimas e descumpram medidas protetivas de urgência determinadas pela justiça. 

Atualmente, o CNJ incentiva o uso desse expediente, mas ele ainda não é obrigatório. O DF e estados como o Ceará e Rio já utilizam monitoramento eletrônico em casos do tipo. 

O sistema funciona com um GPS que, quando o agressor viola os termos de distanciamento entre as partes emitido por um juiz, dispara um alerta para as autoridades e também para a vítima. 

Uma lei com teor semelhante está na gaveta da CCJ do Senado desde setembro de 2019.