Ao divulgar os resultados dos primeiros sete meses do ano, a Superintendência dos Portos do Rio Grande do Sul (Portos RS) evidenciou números importantes para os terminais públicos do Estado. O desempenho ainda contempla o porto de Porto Alegre e a movimentação privada do complexo do Superporto do Rio Grande.

De janeiro a julho, os complexos movimentaram 26.735.005 toneladas, aumento de 7,18% em relação ao mesmo período do ano passado e de 13,05% sobre os mesmos sete meses de 2019.

O complexo do Superporto do Rio Grande (Porto Público, cinco terminais particulares arrendados, estaleiros e quatro terminais de uso privado por empresas) foi responsável pela maior parte do montante. Desempenho: 25.285.651 toneladas de janeiro a julho, 6,01% a mais que no mesmo intervalo em 2020.

A unidade de Rio Grande teve o terceiro melhor mês dos últimos anos enquanto o de Pelotas dobrou as movimentações em relação ao mesmo período do ano passado.

Julho proporcionou a terceira melhor da história do complexo do Superporto, com 4.475.949 toneladas movimentadas. O total verificado ficou próximo ao de abril (4.479.712 toneladas) e maio (4.549.639).

Os  maiores aumentos percentuais de cargas ficaram por conta da madeira (crescimento de 319,99%), ureia (76,62%), farelo de soja (28,48%), trigo (17,24%) e celulose (11,73%).

Pelotas

O porto de Pelotas registrou aumento de 100,50%. Maio pode ser considerado o terceiro melhor mês do ano em cargas transportadas.

As duas principais mercadorias da unidade pelotense, toras de madeira e clínquer (composto para fabricação de cimento), aumentaram suas cargas em relação ao ano passado.

Capital

Já a unidade de Porto Alegre foi responsável pela movimentação de 449.609 toneladas de fertilizantes, que junto a cevada, trigo, sal e outros alcançaram 616.743 toneladas no período de sete meses de 2021. Em relação ao ano passado, o total de cargas movimentadas no cais porto-alegrense registrou aumento de 24,32%.

(Marcello Campos)