Presidente da CPI da Pandemia, Omar Aziz despachou ao STF uma denúncia de possível utilização de dinheiro sujo para financiar os atos bolsonaristas de 7 de setembro.

A informação chegou ao colegiado depois de a Polícia Federal ter prendido um bolsonarista, o prefeito de Cerro Grande do Sul (RS), Gilmar João Alba (PSL), com 505.000 reais em dinheiro vivo no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo.

A dinheirama, segundo revelou o petista Humberto Costa, serviria para financiar atos antidemocráticos no dia 7 de setembro. O prefeito tentava embarcar em São Paulo num avião fretado para Brasília.