A confusão que suspendeu a partida entre Brasil e Argentina, válida pelas Eliminatórias da Copa do Mundo, vai virar alvo da CPI da Pandemia. O jogo foi interrompido neste domingo, 5, por agentes da Anvisa e da Polícia Federal, após a autoridade sanitária pedir a deportação de quatro jogadores argentinos, que teriam prestado informações falsas no relatório de viagem ao chegarem ao Brasil.

Opinião: O realismo fantástico do futebol no Brasil

Segundo o senador Randolfe Rodrigues, o alvo do requerimento deve ser a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) que deve prestar esclarecimentos ao colegiado sobre um acordo feito com autoridades do governo federal para que o jogo acontecesse — com a escalação dos quatro jogadores que estiveram no Reino Unido e teriam que cumprir quarentena.

Após a suspensão da partida, a CBF criticou a ação da Anvisa, afirmando que a ação poderia ter ocorrido em outros momentos.  “A CBF defende a implementação dos mais rigorosos protocolos sanitários e os cumpre na sua integralidade. Porém ressalta que ficou absolutamente surpresa com o momento em que a ação da Agência Nacional da Vigilância Sanitária ocorreu, com a partida já tendo sido iniciada, visto que a Anvisa poderia ter exercido sua atividade de forma muito mais adequada nos vários momentos e dias anteriores ao jogo.”

Claudio Tapia, presidente da Associação de Futebol Argentino (AFA) disse que os atletas respeitaram um acordo com a Conmebol que permitiu que os atletas atuassem. “O que aconteceu hoje é lamentável para o futebol, passa uma imagem muito ruim”, disse, em nota da AFA. “Não se pode falar em mentira porque há uma legislação sanitária sob a qual se jogam todos os torneios sul-americanos. As autoridades de cada país aprovaram um protocolo que temos cumprido ao máximo.”

Entenda a confusão

A Anvisa solicitou à Polícia Federal o imediato retorno de Giovani Lo Celso, Emiliano Martínez, Emiliano Buendia e Christian Romero ao país de origem, além da imediata quarentena dos atletas. Os jogadores foram o estádio e três deles, Martínez, Romero e Lo Celso, estavam como titulares.

Por volta dos nove minutos de partida, com o 0 a 0 no placar, as autoridades da Polícia Federal e da Anvisa entraram no gramado da Anvisa para paralisar o jogo.

O presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres afirmou que os quatro jogadores mentiram no relatório do viajante, exigido pela autoridade sanitária para a entrada no país durante a pandemia. De acordo com as regras vigentes, pessoas que passaram pelo Reino Unido, África do Sul e Índia devem cumprir quarentena de 14 dias. “Os quatro jogadores disseram não ter passado por Reino Unido, África do Sul e Índia, mas no passaporte ficou comprovado que passaram no Reino Unido. Só constataram entre ontem à noite e hoje. Chegamos a esse ponto porque tudo aquilo que a Anvisa orientou não foi cumprido.

Os jogadores tinham que ser isolados para serem deportados , entretanto não foi cumprido. Se deslocaram até o estádio e entraram em campo”, afirmou, em entrevista à Rede Globo. Segundo Barra Torres, os jogadores serão autuados, multados e, então, deportados. Por volta das 20h, a delegação argentina estava no Aeroporto de Guarulhos para volta à Buenos Aires