Admitida oficialmente no dia 6 de agosto, a ocorrência de uma onda de casos de coronavírus no Hospital Nossa Senhora da Conceição, na Zona Norte de Porto Alegre, teve nesta segunda-feira (9) a confirmação de duas mortes associadas ao surto, que já totaliza 54 testes positivos (39 pacientes e 15 funcionários). Ambas as vítimas estavam internadas na instituição.

Em entrevista à imprensa, a coordenadora do Núcleo de Epidemiologia do GHC, Ivana Varella, detalhou que os dois falecidos foram infectados dentro do hospital, sofriam de comorbidades e tiveram óbito constatado nos dias 5 e 8 de julho, respectivamente. São eles:

– Uma mulher de 58 anos, residente em Porto Alegre e que já havia recebido a primeira das duas doses do imunizante de Oxford contra o coronavírus. Ela sofria de doença hepática;

– Um idoso de 78 anos, morador de Guaíba (Região Carbonífera) e que estava com o esquema vacinal completo da Coronavac (duas injeções). Ele estava no Hospital Conceição devido a problemas gastrointestinais.

Ainda de acordo com o GHC, os empregados que contraíram coronavírus apresentam boa condição de saúde e permanecem sob isolamento domiciliar, sendo monitorados à distância pelo hospital e pela Secretaria Municipal da Saúde.

Medidas restritivas

Desde a sexta-feira (6), data da confirmação do surto, o Gabinete de Gerenciamento de Crise do GHC determinou a suspensão das visitas ao local, por tempo indeterminado. O mesmo vale para cirurgias eletivas (exceto em oncologia) e novas internações.

Também foi interrompida a realização de exames ambulatoriais de endoscopia, tomografia e medicina nuclear, dentre outros. Além disso, o setor de Emergência está recebendo apenas casos graves, desde que o paciente tenha chegado em ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Muitos dos infectados já haviam recebido a imunização completa e não chegaram a apresentar sintomas da covid. Eles só souberam que estavam com o coronavírus após serem submetidos a teste do tipo PCR.

Existe a suspeita de que os contágios tenham sido causados pela variante Delta do coronavírus, também conhecida como “indiana” por ter surgido no país asiático. Também conhecida como “indiana”, essa cepa é mais transmissível  e tem se expandido em diferentes regiões do Rio Grande do Sul.

Amostras de pacientes com teste positivo para Covid foram encaminhadas para sequenciamento genético, a fim confirmar a hipótese. O serviço é realizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro.

Hospital Vila Nova

Um surto da doença também atingiu o Hospital Vila Nova, na Zona Sul de Porto Alegre. Até a última sexta-feira, eram 29 pacientes e 14 funcionários com teste positivo. Os casos teriam sido detectados a partir de uma unidade com 60 leitos. Por meio de nota em seu site, a instituição se manifestou sobre o assunto, garantindo que o pior já passou:

“A Associação Hospitalar Vila Nova (AHVN) informa que o surto de covid − na Unidade 1 – já está controlado e, até o momento, não foram identificados novos contágios. As medidas de controle adotadas estão em concordância com os mais recentes protocolos do Ministério da Saúde e com validação dos serviços de vigilância, sendo efetivas em conter a disseminação do vírus, sem propagação para outras áreas do hospital”.

Além disso, não confirmadas ocorrências da variante Delta nos casos de coronavírus do Vila Nova: “É importante destacar também que a Secretaria Municipal de Saúde foi imediatamente comunicada do surto logo após a sua constatação. O setor de Emergência e as unidades de internação do hospital estão aptas a continuar recebendo pacientes”.

(Marcello Campos)