Apesar do tom mais brando do Planalto — na quinta, Jair Bolsonaro disse que os atos do feriado serão pacíficos, como se controlasse todos os militantes que irão para as ruas contra a democracia –, Brasília terá protocolo de segurança máxima na Esplanada.

Ibaneis Rocha, o governador do DF, acionou juntamente com as polícias do Congresso o chamado Protocolo de Reação Tática Integrada, espécie de operação conjunta das forças de segurança para barrar distúrbios na Esplanada dos Ministérios.

Rodrigo Pacheco, o chefe do Legislativo, ficará em Brasília de prontidão. Já Luiz Fux, presidente do STF, por orientações de segurança, ocultará seu paradeiro no feriado.