Bem visto no STF, o chefe da Polícia Federal, delegado Paulo Maiurino, recebeu recentemente uma demonstração pública de confiança do ministro Alexandre de Moraes.

Relator da investigação que apura a possível interferência de Jair Bolsonaro na PF, Moraes não só afastou um delegado que tentava usar um inquérito para fustigar o diretor como ainda delegou ao próprio Maiurino a escolha da equipe substituta.

Essa boa relação no STF vai além de Moraes. Maiurino foi secretário da Segurança na gestão do ministro Dias Toffoli na Corte.

Em situações normais, isso poderia fortalecer o diretor-geral no governo. No momento, porém, o que ocorre é o exatamente o oposto. Maiurino, dizem fontes da PF, está na mira de Bolsonaro e deve ter vida curta no cargo.