A polícia da Nova Zelândia matou um homem a tiros depois que ele esfaqueou seis pessoas em um ataque terrorista nesta sexta-feira, 3. O incidente O aconteceu em um supermercado Countdown, na região de Auckland.

Segundo a polícia, três pessoas sofreram ferimentos graves e foram levados para o Hospital de Auckland. Há uma vítima em estado crítico e outras duas em estado moderado.

A primeira-ministra neozelandesa, Jacinda Arden, afirmou que o ataque foi um ato terrorista: “Foi odioso, foi errado. Foi realizado por um indivíduo, não por uma fé, não uma cultura, não uma etnia”, afirmou. “Só ele carrega a responsabilidade por esses atos.”

Segundo Arden, o agressor era um cidadão do Sri Lanka que estava na Nova Zelândia há 10 anos. Ele vinha sendo monitorado pela polícia há cinco anos por ligações com o Estado Islâmico.

Na tarde desta sexta (horário local), ele entrou no supermercado, pegou uma faca que estava na vitrine e começou a esfaquear as pessoas que passavam no local. Os policiais que o monitoravam abriram fogo no minuto seguinte. A polícia diz que o homem agiu sozinho.

O acesso à loja foi totalmente bloqueado para investigações. Os agentes também estão ouvindo testemunhas e avaliando imagens de câmeras de segurança.