Buda foi apontado como responsável por plano de fuga de Marcola, chefe do PCC, em 2014. Na época, Buda chefiava o tráfico de drogas na Zona Norte da capital e Guarulhos e morava em São José dos Campos. Polícia prende suspeito de assalto em Criciúma em casa alugada em Gramado
Um dos presos pela Polícia Civil nesta quinta-feira (3) em um chalé em Gramado, no Rio Grande do Sul, por suspeita de participar de assalto a uma base bancária em Criciúma (SC), integra a cúpula da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), facção que atua dentro e fora de presídios de São Paulo.
Márcio Geraldo Alves Ferreira, conhecido como Buda, de 39 anos, é apontado pela Polícia Civil e o governo de São Paulo como o responsável pelo planejamento de uma tentativa de fuga de um dos chefes da facção, Marcos Camacho, conhecido como Marcola, em 2014. Atualmente, Marcola está isolado em uma penitenciária federal e fora de São Paulo.
Nove meses após a tentativa de fuga de Marcola, Buda foi recapturado em São Paulo. Na época, ele comandava o tráfico de drogas na Zona Norte da capital e em Guarulhos, mas morava em um residencial em São José dos Campos.
Era apontado como um dos criminosos mais procurados do estado. A Polícia Civil chegou até ele através de uma ligação anônima, após o Programa Estadual de Recompensa da Secretaria da Segurança Pública oferecer R$ 5 mil por informações sobre seu paradeiro.
De novembro de 2014 a setembro de 2019, permaneceu preso na Penitenciária II de Presidente Venceslau, que abriga detentos ligados ao PCC, segundo a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária. Mas, foi libertado após o cumprimento integral da pena.
O delegado João Paulo Abreu, chefe do DEIC de Porto Alegre, afirmou nesta quinta que o assalto em Criciúma está “intensamente relacionado” ao PCC.
Buda foi preso em 2014 após ser apontado como responsável pelo plano de fuga de Marcola
Reprodução
Foragido, ajudou Marcola
Buda foi considerado como foragido desde 2010, quando cumpria pena em uma penitenciária em São José do Rio Preto, mas teve direito à progressão de regime para o semiaberto (com direito a trabalho externo) e nunca mais foi encontrado.
Em fevereiro de 2014, quando o governo do estado de São Paulo divulgou um plano de fuga de Marcola da penitenciária de Presidente Venceslau, o criminoso foi apontado como responsável por ter orquestrado a ação.
Investigações da polícia revelam que Buda teria pesquisado e articulado a instalação de uma base de apoio para a operação em Porto Rico, no Paraná. Além disso, ele seria um dos responsáveis por selecionar os helicópteros que o grupo utilizaria na ação.
Para isso, realizou diversos voos panorâmicos por São Paulo na tentativa de escolher uma empresa de táxi aéreo que o grupo contrataria para apoiar na fuga.
Em São Paulo, o criminoso responde ainda a mais processos de 2015 e 2014 por falsificação de documentos, homicídio e roubo. Atualmente, os casos aguardam julgamento de recursos no Superior Tribunal de Justiça (STJ).
Assalto em Criciúma
Na última segunda-feira, (30), cerca de 30 pessoas encapuzadas assaltaram a agência do Banco do Brasil no Centro de Criciúma. A ação durou 1 hora e 45 minutos. Pessoas foram feitas reféns e cercadas por criminosos. Houve bloqueios e barreiras para conter a chegada da polícia (veja detalhes no vídeo abaixo).
Os criminosos fugiram, e parte do dinheiro ficou espalhada pelas ruas. O valor levado e abandonado não foi informado. Após a ação, 10 carros usados no assalto foram apreendidos em um milharal de uma propriedade privada em Nova Veneza, a noroeste de Criciúma.
Quadrilha assalta Banco do Brasil no Centro de Criciúma (SC)
Investigações sobre assalto em Criciúma
Fernanda Garrafiel – Arte G1
Prisões e galpão encontrado
Dois dos suspeitos foram localizados em Gramado, na Serra do Rio Grande do Sul, na manhã desta quinta-feira (3), segundo a Chefe da Polícia Civil, Nadine Anflor.
Outros sete foram presos entre a tarde de quarta (2) e a madrugada desta quinta, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF) em cidades do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. Os suspeitos são de São Paulo (8) e Minas Gerais (1).
Mais cedo nesta quinta-feira, um homem foi preso em uma casa localizada entre os municípios de Morrinhos do Sul (RS) e Três Cachoeiras (RS), às margens da BR-101.
Segundo o comandante geral da Brigada Militar, coronel Rodrigo Mohr Picon, na casa foram encontrados objetos com características semelhantes aos utilizados no assalto. “Uniformes, material pra uso de explosivos, tinta spray. Várias características que poderiam estar envolvidos nessa ação. Também havia vestígios de sangue na casa”.
Dois paulistas, de 30 e 44 anos, foram presos na tarde de quarta, na BR-116, em São Leopoldo, na Região Metropolitana de Porto Alegre.
“Nosso serviço de inteligência chegou a informação de que um veículo que foi abordado, um HB20, tinha uma possível vinculação, direta ou indireta com a ação delituosa. Foi feita a interceptação em São Leopoldo e já condenamos com a Polícia Civil esse intercâmbio de informações e o desdobramento dessa ocorrência”, destaca o superintendente da PRF, Luis Reichack.
Os dois tem antecedentes criminais, segundo a delegada Nadine. “Antecedentes de receptação, roubo. Não antecedentes diretamente de roubo a banco. O veículo hb20 era justamente o batedor. Foi o veículo utilizado para trazerem todos os demais veículos de Criciúma”, diz.
Os homens decidiram permanecer em silêncio no interrogatório. Com eles foram apreendidos celulares e R$ 8 mil em dinheiro. “Se lavrou o flagrante pelos crimes de participação em organização criminosa e coautoria pelo roubo a banco em Criciúma”, diz a delegada.
Na tarde de quarta-feira (2), uma mulher de 31 anos foi presa em São Paulo suspeita de participação no mega-assalto. Ela foi localizada, após uma denúncia, no Jardim Reimberg, Zona Sul da capital paulista. Com a mulher, os policiais encontraram malotes de dinheiro do Banco do Brasil, que serão periciados.
Na terça-feira (1°), um galpão usado pelos criminosos foi encontrado pela Polícia Militar na cidade vizinha de Içara, a cerca de 9 quilômetros de Criciúma.
VÍDEOS: Quadrilha assalta banco e causa terror em Criciúma
Initial plugin text