As previsões macroeconômicas não soam animadoras para 2021, o que deve trazer reflexos no caixa dos municípios. Sem arrecadação, não há investimento em saúde ou educação, muito menos em obras.

É por isso, aponta a senadora tucana Mara Gabrilli, que os prefeitos e vereadores eleitos vão ter que esbanjar jogo de cintura daqui pra frente.

“Eles terão o desafio de se reinventar para superar a crise econômica dos próximos anos, ainda como reflexo do novo coronavírus”, afirma a senadora por São Paulo.

Conciliar aumento da qualidade de vida – ou a mera manutenção dos serviços públicos municipais, como a zeladoria, argumenta Mara – com o caixa no azul vai requerer muito mais dos governantes a partir de janeiro de 2021.

Continua após a publicidade