O advogado e deputado estadual Sebastião Melo (MDB), da coligação do Estamos Juntos Porto Alegre, participou do programa Pampa Debates desta terça-feira (24). Melo disputa o segundo turno das eleições municipais com a candidata Manuela D’Ávila (PCdoB), da coligação Movimento Muda Porto Alegre. Neste domingo (29) a população decidirá quem vai assumir a prefeitura da capital gaúcha pelos próximos quatro anos.

Questionado pelo apresentador Paulo Sérgio Pinto se esperava ser o candidato mais votado no primeiro turno, Melo respondeu: “mais de 200 mil porto-alegrenses acreditaram em mim e no Ricardo, e nos conduziram ao segundo turno. No primeiro turno é sempre o voto do coração e o segundo turno é aquele que se aproxima mais das ideias”.

Nesta segunda-feira (23) o PSDB, partido do atual prefeito Nelson Marchezan Jr., declarou que irá apoiar a eleição de Sebastião Melo. Inicialmente o partido tinha manifestado neutralidade. Em relação a esse novo apoio, o deputado estadual afirmou: “o PSDB estadual olhou o cenário, passou-se uma semana, o governador teve a gentileza de me ligar pelo resultado e disse ‘Melo, eu não estou em cima do muro, eu acho que tu é muito diferente da adversária, não tenho dúvida que tu tem que ser o prefeito de Porto Alegre’. Ontem recebemos, então, o apoio do PSDB estadual e do PSDB municipal”.

Na sequência, o deputado estadual falou sobre saúde e economia, já que este ano de 2020 foi afetado pela pandemia do novo coronavírus, o que gerou uma crise econômica mundial. “Vou reabrir com segurança as atividades econômicas que estiverem fechadas e vou rever o protocolo de muitas delas.

Caso seja eleito, Melo destacou que irá cuidar dos 93 bairros de Porto Alegre, mas que sua prioridade será o Centro da Capital, onde está localizada a sede do governo municipal. Ainda, em relação a economia, Melo revelou que quer potencializar a cadeia da construção civil. “Facilitando os licenciamentos e isso nós vamos fazer, nós vamos centralizar esse licenciamento para que ele seja mais rápido também e nós vamos fazer uma lei para credenciar escritórios altamente competentes para fazer só projetos”.

Além disso, Melo afirmou que vai propor um parcelamento dos tributos, já que grande parte da população deixou de pagar por ter que fechar os negócios, em razão da pandemia. “E digo também: se alguém levou uma multa por trabalhar, eu vou retirar essa multa”.

Outro assunto abordado foi a mobilidade urbana. O deputado estadual disse que não irá colocar pedágio na cidade, nem no centro, e nem nas entradas da Capital. “Em 2015, nunca antes teve uma licitação, a regra no serviço público é licitar, houve uma licitação e ganhou o consórcio norte, leste, sul, e a Carris ficou com 22. Lá tem uma espera dentro desse processo que diz que você pode repactuar, se eu for prefeito eu vou chamar os operadores, o Tribunal de Contas, o Ministério Público e a procuradoria e nós vamos ver o que nós vamos repactuar.”

O apresentador Paulo Sérgio Pinto questionou o candidato sobre o transporte hidroviário de Porto Alegre. “Primeiro quero dizer que vou fazer parceria público privado para tratar o restante do esgoto que não é tratado na cidade de Porto Alegre; segundo, eu quero reafirmar que nós vamos fazer uma marina no trecho dois. Acho que nós temos um potencial náutico na cidade enorme.”

Já em relação às obras inacabadas da Copa do Mundo de 2014, Melo destacou que começará pela Tronco, na Cruzeiro. “Essa é uma obra que ela é a mais social, porque já acolheu 1.500 famílias que moravam no leito da rua. Ela foi retomada lentamente. Ela tem garantia de financiamento, então tem que tocar a obra, e ela vai fazer uma ligação do Centro-Sul com a terceira perimetral. Ela vai mudar o tecido urbano dessa região”.

Formado em Direito pela Unisinos, Sebastião Melo vinha de três mandatos como vereador quando foi eleito vice-prefeito na chapa de José Fortunati em 2012. Tentou sucedê-lo em 2016, mas ficou em segundo lugar, superado por Marchezan. Em 2018, foi eleito deputado estadual.